Definição:  saúde mental é o equilíbrio emocional entre o patrimônio interno e as exigências ou vivências externas. É a capacidade de administrar a própria vida e as suas emoções dentro de um amplo espectro de variações sem, contudo perder o valor do real e do precioso.

Minha saúde mental se perdeu e eu me perdi junto.

Foi aos poucos isso, começou no segundo semestre do ensino médio (faço cursinho preparatório hoje em dia) com a minha família. Sempre muitas cobranças sobre os vestibulares e de como garantir aquela famosa vaga na federal é essencial.

Lembre-se que não é porque você cursa uma federal que é melhor que alguém que cursa uma particular. Tudo é uma questão pessoal e devemos respeitar.

Naquela época eu não estava me atentando a isto – vaga na federal – porque eu não me sentia preparada psicologicamente, mas eu mascarei isso e segui em frente. Meus professores também nos cobravam, mas não nos davam apoio, ou encorajavam. Minha família era igual, só cobrança, cobrança e cobrança.

Você tem que passar! Tem que ser aprovada aos 18 anos e aos 21 estar formada. Você tem.

Não havia apoio, principalmente por parte da minha mãe. Nós brigávamos muito, deterioramos totalmente nossa relação e fomos nos perdendo gradativamente. Assim como eu fui me perdendo. Eu não sabia que ter apoio de quem nós amamos era tão importante assim para nosso psicológico. E isso acabou se agravando ao ponto de eu começar a faltar às aulas, não frequentei o colégio por alguns dias, inventei dores e mais dores só para ficar deitada na cama, no escuro e pensando em como me sentia deprimida.

Está tudo bem não querer ir às aulas durantes uns dias, para por sua cabeça em ordem e descansar de todo esse caos. Está tudo bem dizer não para aquele dever que lhe ofereceram e você sabe (lá no fundo, mas sabe) que não conseguirá cumprir e se cobrará até se sentir falho. Está tudo bem não ir ao seu curso de inglês porque está indisposto e sente que não pode lidar com isso agora. Está tudo bem pedir para sair do seu trabalho porque sente que aquilo é abusivo. Está tudo bem não sair com os seus amigos porque quer ficar um pouco a sós.

Está tudo bem não estar tudo bem.

Chegou à época de vestibulares, fiz o vestibular da faculdade que queria na época e passei, mas não a cursaria por conta da mensalidade absurda e que minha família não poderia arcar. Então fiz o ENEM e a Fuvest (USP), não tive o melhor desempenho no ENEM e não passei na Fuvest para Jornalismo. Minha mãe disse que sabia que eu não passaria, já que, aparentemente, para ela, eu não estava nem aí para nada.

E a cada dia ficou pior.

Na última semana do ano, eu decidi o que realmente queria cursar. E não, minha família não apoiou. Não é medicina, direito, engenharia ou qualquer coisa, para que ter apoio?

Chegou à época do SISU e só quem já tentou por esse sistema, sabe a tortura que é a semana de notas de corte, aquilo sobe, desce; uma hora você está dentro, na outra hora, fora. E isso me fez tão mal que eu passei a semana chorando, deprimida na cama porque eu realmente não via mais nenhuma expectativa para mim.

Esse ano eu estou fazendo o cursinho e ainda não me achei totalmente, não reconstruí minha saúde mental por completo, mas estou no processo. Eu falto sim, tiro uns dias para por minha cabeça em ordem e lembrar que me cuidar é essencial. Estou crescendo e hoje eu sei que eu devo acreditar em mim mesma e no que quero; que ter apoio é bom sim, mas quando não se tem, devemos buscar forças e nos apoiar, porque isso de alguma forma vai nos ajudar; que cobranças sempre irão existir e sempre serão feitas (mesmo aquelas que são feitas em nome do “amor”), mas não aceite que elas te derrubem se não forem te agregar nada, saiba filtrar aquilo que tem tom de ajuda com aquilo que tem tom de te ferir psicologicamente.

Acredite em você e no que quer – independente se for uma vaga na federal ou na particular – e lute por isso. Mas lute no seu tempo, na sua hora. Você não tem que entrar na faculdade aos 18 anos, saiba seu tempo e respeite-o.

Eu estou me reconstruindo e entendo, hoje, que está tudo bem se eu não entrar na faculdade agora, se não passar nos vestibulares e não conseguir. Está tudo bem.

Está tudo bem.

Está tudo bem ficar bem e tentar no teu tempo.

Mas se cuida, por favor. Eu estou me cuidando.

Posted by:Malu Reining

uma nada extraordinária garota

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s